Simpósio Alshop: Como o novo governo enxerga os desafios diante da realidade atual do país?

Na manhã de sábado (6) teve início o dia de painéis da 4ª edição do Simpósio Nacional de Varejo e Shopping, no Wish Resort Golf Convention, em Foz do Iguaçu, no Paraná. O primeiro painel teve início aproximadamente por volta das 9h, e contou com nomes como Efraim Filho, deputado federal e presidente da Frente Parlamentar em Defesa do Comércio e Serviços (FCS), Felipe Francischini, deputado federal e presidente da CCJ, George Pinheiro, presidente da União de Entidades do Comércio e Serviços (Unecs), Gabriel Kanner, presidente do Movimento Brasil 200, Nabil Sahyoun, presidente da Alshop, e Francisco Lacerda, prefeito de Foz do Iguaçu.

O principal intuito deste painel foi apresentar os pontos positivos da reforma da Previdência e apontar os motivos pelos quais ela seria positiva para o País. “Estamos encarregados de assumir um novo posicionamento da nova Previdência. Quando digo isso, quero dizer para que todos os nossos lojistas e empreendedores de shopping possam, junto com suas assessorias, emitir comunicados e fazer entrevistas, demonstrando a importância deste projeto”, pontuou Nabil Sahyoun.

Já o presidente da Unecs, George Pinheiro, deu destaque aos problemas fiscais do Brasil, afirmando que nem mesmo a reforma da Previdência será suficiente para evitar os problemas de curto prazo. “Os déficits primários acumulados desde 2014 podem levar a dívida pública a mais de 100% do PIB em 2021, se não houver reformas”, destacou.

Para Pinheiro, a verdade é que se, em 2019, não tivermos a reforma da Previdência, a realidade vai piorar. Segundo ele, é possível que a arrecadação tenda a ter uma dinâmica melhor e ganhe forças ao longo dos anos, com a retomada da economia. Mesmo assim, não compensará o aumento das despesas obrigatórias, em especial, as previdenciárias. “Acreditar que há alternativas para a crise fiscal sem uma profunda reforma da Previdência é brincar de dar salto mortal no abismo. Há risco iminente de o País entrar em uma nova recessão se o ajuste fiscal ficar para depois”, concluiu.

Francisco Lacerda, prefeito de Foz do Iguaçu, afirmou que esta contribuição da Alshop é um movimento pró-ativo em nome da sociedade brasileira como os novos movimentos de discussão de políticas públicas. “A pauta principal de hoje é o destravamento da economia do País. Agora estamos com muito mais urgência e a cada ano que passa, se não fizermos o que tem que ser feito, saímos do estado de emergência, para o estado de calamidade”, disse o prefeito.

Em mais um argumento para apontar os pontos positivos da reforma, o deputado Efraim Filho (DEM-PB), em uma de suas falas, afirmou que a economia é o grande desafio para o Brasil, no entanto, muito se fala de que se a Previdência não for aprovada, o País “irá quebrar”. “Não quebrar para quem? Para os empresários, donos de shopping? Porque para uma mãe que vai com seu filho doente a um hospital e não consegue ser atendida ou para um pai que vê seu filho assassinado na rua, o Brasil já se quebrou. Vamos aguardar mais o que?”, declarou.

A Alshop, como uma das entidades parte da Unecs, atua positivamente pela aprovação das reformas, sempre com o objetivo de modernizar e desburocratizar as relações comerciais, incentivando a economia e o desenvolvimento do país como um todo.

*Com informações da Alshop

Leave a reply

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *